Jejum seco: ele vai te matar ou te curar?

Fevereiro 5, 2022

jejum-seco-1000x700.jpeg

Já ouviu falar do jejum seco? Ficar sem comer por períodos prolongados já parece um desafio, agora imagine não poder beber enquanto faz o jejum...

Por mais louco que possa parecer, esse é o chamado jejum seco.

Enquanto as pessoas defendem seus incríveis benefícios à saúde e ao seu estado mental, a maioria dos médicos e especialistas em bem-estar encoraja as pessoas a evitar a desidratação a todo custo.

Então, se quiser saber o que é jejum seco, continue lendo.

O que é jejum seco?

Quando você faz jejum intermitente, precisa interromper completamente a ingestão de alimentos. Porém, ingerir líquidos como água, chá e caldo de ossos não só é permitido como também é altamente recomendado.
No jejum seco, você também deve interromper a ingestão de líquidos de todas as formas.

Se você não pode comer nem beber água, então esse método de jejum é um dos mais rigorosos que existe.

Na verdade, milhões de pessoas fazem isso por um mês uma vez por ano. Durante o mês sagrado do Ramadã, os muçulmanos evitam comer ou beber do nascer ao pôr do sol, o que dura entre 28 e 30 dias.

Por que para alguns essa parece uma boa ideia? Vamos descobrir.

Tipos de jejum seco 

Jejum seco intermitente

O jejum seco intermitente tem três abordagens principais:

  • O jejum seco 16:8 é um dos métodos mais populares. A única diferença em relação ao jejum intermitente clássico é que além de não comer, você também deixa de ingerir líquidos. 
  • O jejum seco 20:4 é uma abordagem bastante extrema do jejum seco. Isso significa que você pode consumir líquidos e alimentos apenas dentro de um intervalo de 4 horas por dia e se abster nas 20 horas restantes. 
  • O jejum intermitente do Ramadã ou RIF, como o nome sugere, é feito pelos muçulmanos durante o mês do Ramadã. Eles devem se abster de comer e beber entre o nascer e o pôr do sol. O jejum geralmente dura entre 11 e 16 horas, mas em algumas regiões, como a Groenlândia, onde os dias durante o mês do Ramadã são muito mais curtos, o jejum pode durar até 21 horas. A maior parte das pesquisas científicas feitas sobre o jejum seco se concentra principalmente em muçulmanos durante o mês do Ramadã.

Jejum seco prolongado

O jejum seco prolongado significa um jejum por mais de 24 horas. Embora 24 horas seja o limite para os especialistas em saúde, algumas pessoas afirmam fazer jejum seco de maneira relativamente regular por 48-72 horas. Alguns adeptos experientes afirmam ter feito jejum por cinco dias ou mais. Isso não só é difícil de acreditar como também parece muito perigoso.

A água é essencial para o funcionamento de todos os órgãos do nosso corpo. Ficar três dias sem água pode levar a uma desidratação severa ou mesmo à morte, então é por isso que não recomendamos fazer o jejum seco. Isso pode provocar consequências graves e problemas de saúde, e é importante observar isso.

Jejum seco absoluto

O jejum seco absoluto significa ficar sem beber e também deixar de ter qualquer contato com a água, ou seja, não tomar banho, escovar os dentes, nem mesmo lavar as mãos. A teoria por trás disso é que uma certa quantidade de água pode ser absorvida pela pele, e o objetivo do jejum seco é interromper completamente a ingestão de líquidos. Embora alguns minerais, nutrientes e compostos químicos possam ser absorvidos pela pele, a epiderme da nossa pele é resistente à água, o que significa que essa teoria não deve ser considerada verdadeira. Fazer um jejum seco absoluto pode tornar toda a experiência ainda mais desconfortável.

Benefícios do jejum seco

É óbvio que ninguém está fazendo isso só porque gosta. Podem haver alguns benefícios para a saúde bastante impressionantes que o tornam algo a se considerar. E aqui estão alguns dos possíveis benefícios.

Função cognitiva melhorada

A principal motivação para muitas pessoas é ter maior foco e produtividade. Embora o jejum intermitente seja uma opção mais popular, o jejum seco pode melhorar ainda mais a função cognitiva. Foi realizado um estudo com 22 mulheres e sete homens em jejum seco durante o Ramadã. A investigação mostrou que os níveis plasmáticos de serotonina, BDNF e NGF aumentaram significativamente durante o mês de jejum do Ramadã.  

A serotonina é um importante composto químico e neurotransmissor no corpo humano. Acredita-se que ela ajuda a regular o humor e o comportamento social, o apetite e a digestão, o sono, a memória, o desejo e a função sexual. A falta de serotonina pode causar depressão e ansiedade.

A BDNF é uma proteína encontrada no cérebro. Ela ajuda a sustentar a sobrevivência dos neurônios existentes e estimula o crescimento e a diferenciação de novos neurônios e sinapses. A BDNF também é vital para a memória de longo prazo. 

A NGF está envolvida no crescimento, manutenção, proliferação e sobrevivência das células nervosas. Ela é, de fato, crítica para a sobrevivência e manutenção dos neurônios simpáticos e sensoriais, pois eles sofrem apoptose em sua ausência. No entanto, vários estudos recentes sugerem que a NGF também está envolvida em outras vias além de regular o ciclo de vida dos neurônios.    

Perda de peso

Visto que durante o jejum seco, você não está consumindo NENHUMA caloria, esse pode parecer um benefício óbvio. Mas há uma certa mágica por trás, porque ele é incrivelmente eficaz na queima de gordura.

Em primeiro lugar, o jejum seco, assim como o jejum regular, ajuda no emagrecimento devido à restrição calórica. Toda perda de peso é alcançada através da mesma equação - você emagrece se queimar mais calorias do que consome. 

Em segundo lugar, o jejum está relacionado à lipólise, que é basicamente a queima de gordura. Ao diminuir a insulina e aumentar os níveis do hormônio do crescimento, isso também aumenta a liberação do hormônio queimador de gordura denominado norepinefrina (noradrenalina). Devido a essas mudanças hormonais, o jejum aumenta sua taxa metabólica.  

Pode melhorar os níveis de colesterol

Outro estudo conduzido em indivíduos em jejum no Ramadã mostrou resultados incríveis no aumento do colesterol bom. Os níveis de lipoproteína de alta densidade (HDL) aumentaram em 30-40%. Essa é definitivamente uma boa notícia, pois níveis elevados de colesterol HDL podem reduzir o risco de doenças cardíacas e derrames. O colesterol “bom” absorve o colesterol “ruim” e o transporta de volta para o fígado. O fígado então o libera do corpo.  

Efeitos anti-inflamatórios

O jejum seco tem alguns efeitos anti-inflamatórios comprovados. Os jejuns do Ramadã estão associados a concentrações significativamente mais baixas de marcadores inflamatórios, como PCR, IL-6 e TNF-α.

A CRP é uma proteína cujas concentrações circulantes aumentam em resposta à inflamação. Altos níveis de CRP podem estar relacionados a um risco maior de diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares. 

A IL-6 estimula os processos inflamatórios e autoimunes em muitas doenças, como diabetes, aterosclerose, depressão, Mal de Alzheimer, câncer de próstata e artrite reumatoide. 

A TNF-α é uma proteína de sinalização celular envolvida na inflamação sistêmica. A desregulação da produção de TNF tem sido relacionada a uma série de doenças nos humanos, incluindo Mal de Alzheimer, câncer, depressão, psoríase e doença inflamatória do intestino. 

Faz bem para os ossos

Um estudo mostrou que mudanças nas práticas alimentares durante o Ramadã modularam a secreção de PTH para um padrão que pode ser benéfico para a saúde óssea.  

O PTH, também chamado de paratormônio, é um hormônio secretado pelas glândulas paratireoides que regula o cálcio sérico por meio de seus efeitos nos ossos, rins e intestino.

Previne doença coronariana

A doença cardíaca coronária (CHD), ou doença arterial coronariana, desenvolve-se quando as artérias coronárias se tornam muito estreitas.

As artérias coronárias são os vasos sanguíneos que fornecem oxigênio e sangue ao coração. A CHD tende a se desenvolver quando o colesterol se acumula nas paredes das artérias, criando placas. Essas placas causam o estreitamento das artérias, reduzindo o fluxo sanguíneo para o coração. Às vezes, um coágulo pode obstruir o fluxo sanguíneo, causando sérios problemas de saúde.

Foi realizado um estudo com 82 voluntários com histórico de doença arterial coronariana, síndrome metabólica ou doenças cerebrovasculares. Os resultados mostraram uma melhora significativa no nível de risco de doença cardíaca coronária em 10 anos e outros fatores de risco cardiovascular, como perfil lipídico, pressão arterial sistólica, peso, IMC e circunferência da cintura.  

Jejum seco e autofagia

O que é autofagia?

A autofagia é um processo de renovação celular em que células danificadas ou partes de células são removidas e substituídas, criando uma célula mais saudável e funcional. A autofagia desempenha um papel de manutenção e pode limpar estruturas celulares danificadas (como mitocôndrias, retículo endoplasmático e peroxissomos) removendo partes celulares danificadas. A autofagia também pode remover patógenos intracelulares e é considerada um mecanismo de sobrevivência.

Outra maneira popular de explicar a autofagia é que quando você para de comer e seu sistema digestivo não está carregado, seu corpo tem mais “tempo e energia para cuidar da renovação celular.”

Como a autofagia se relaciona com o jejum seco?

A autofagia pode ser induzida por fome, especificamente por um aumento de glucagon. Quando comemos, nossos níveis de insulina aumentam e nossos níveis de glucagon diminuem.

Por outro lado, quando não comemos ou jejuamos, nossos níveis de insulina diminuem e os de glucagon aumentam. Este aumento de glucagon é conhecido por ser um dos estimuladores mais eficazes da autofagia. Embora não haja nenhuma pesquisa científica que corrobore isso, existe uma teoria de que o jejum seco aumente a autofagia três vezes mais em comparação com o jejum regular. 

Como mencionado anteriormente, a teoria popular que explica como a autofagia está relacionada ao jejum é que, quando o corpo não está sobrecarregado e ocupado digerindo os alimentos, ele investe a energia no autorreparo. Quando bebemos água, nossos corpos ainda estão ocupados com o metabolismo da água (absorção, micção, etc.). Portanto, não ingerir alimentos líquidos, na teoria, aumenta a autofagia.

Resultados do jejum seco

O jejum seco tem os benefícios de emagrecimento, melhora os níveis de colesterol, efeitos anti-inflamatórios, reduz a pressão arterial e vários outros fatores, conforme mencionado acima.

A perda de peso rápida pode ser o que mais chama a atenção, já que cada dia de jejum seco pode resultar na perda de 3 quilos. Isso significa que, em 5 dias de jejum seco, você pode emagrecer até 7 quilos. A maior parte seria simplesmente uma perda de líquidos, mas os resultados ainda seriam muito visíveis.

Assim, após parar com o jejum seco, grande parte do peso perdido retorna, fazendo com que o jejum seco não seja o método mais sustentável para perda de peso.

Perigos do jejum seco e medidas de segurança

Depois que todos os benefícios foram mencionados, uma pergunta fundamental surge: “o jejum seco é seguro?”

Cada artigo sobre perda de peso que você consultar, cada médico ou especialista em bem-estar que você encontrar dirá para você sempre beber água. É por isso que o jejum seco e a melhora da saúde na mesma frase podem soar muito estranhos e contraintuitivos.

Essa abordagem de dieta extrema realmente tem seus perigos. O perigo número um é, claro, a desidratação.

Três dias sem água podem ser fatais.

É essencial observar que beber água e urinar são importantes, pois dessa forma você descarta os componentes químicos tóxicos de seu corpo.

O jejum seco pode ser extremamente perigoso se:

  • Você estiver grávida ou amamentando.
  • Você praticá-lo por períodos prolongados (mais de 24 horas).
  • Você estiver tomando qualquer medicamento (a água é necessária para o medicamento funcionar, e ingerir medicamentos sem água pode ser prejudicial para os rins e o fígado).
  • Você estiver fazendo qualquer tipo de jejum (intermitente) pela primeira vez.
  • Você for exposto ao calor.
  • Você tiver alguma condição crônica de saúde
  • Você praticar exercícios diariamente

Estágios do jejum seco

1 - Estágio de glicogênio

Mesmo que você não consuma alimentos ou água, seu corpo precisa de energia para funcionar. Depois que você fica sem açúcar no sangue, seu corpo começa a usar glicogênio para obter energia. Este é o primeiro estágio do jejum seco. Esse estágio leva cerca de um dia, pois os estoques de glicogênio duram cerca de 24 horas. Isso também depende de quão fisicamente ativo você está ao fazer seu jejum seco.

A maioria afirma que esse estágio é o mais difícil. Pode ser porque usar glicogênio em vez de gordura para obter energia significa produzir menos água metabólica e, portanto, ter mais sede.

2 - Estágio de queima de gordura

Depois que seu corpo usa todo o glicogênio, é hora de queimar gordura, o armazenamento definitivo de energia. Quando o estágio de queima de gordura começa, os jejuadores tendem a sentir menos sede, pois o corpo começa a usar a água metabólica das células de gordura queimadas.

Um atalho para esse estágio seria adaptar-se a uma dieta cetogênica antes de iniciar um jejum seco. Quando você entra em cetose e seu corpo queima gordura como combustível, toda a experiência inicialmente desagradável do jejum seco pode se tornar um pouco mais tranquila.

Jejum seco x jejum de água

O jejum de água significa ficar sem ingerir alimentos ou outras bebidas além da água por determinados períodos.

A primeira diferença óbvia entre os dois é que durante um jejum seco você não consome NADA, incluindo água. E isso, é claro, torna tudo muito mais extremo.

O jejum seco pode ser mais perigoso, mas também afirmam ter mais benefícios para a saúde. Curiosamente, muitas pessoas afirmam sentir menos fome no jejum seco do que no jejum de água.

No fim das contas, é uma questão de tentar os dois para ver o que funciona melhor.

Perguntas frequentes

Você pode se exercitar durante o jejum seco?

Praticar exercícios durante um jejum seco pode ter consequências graves. Você deve evitar a perda de água para não ficar desidratado. Se você estiver em jejum seco, exercícios de baixa intensidade podem não ser tão ruins, mas certifique-se de ir com calma.  

Não é recomendado fazer exercícios intensos sem ingerir água. 

Quanto tempo você pode jejuar sem água?

Ficar sem água por três dias pode ser fatal. Mesmo que haja jejuadores afirmando que ficaram sem ingerir água por até 5 dias e se sentiram completamente bem, isso não é recomendado. Um iniciante deve começar com jejuns intermitentes de não mais do que 12 horas e de forma alguma exceder 24 horas. 

Conclusões

Com tantas pessoas defendendo seus benefícios à saúde, é no mínimo curioso tentar este método. O jejum seco pode fornecer alguns benefícios adicionais à saúde, mas claro, se medidas de segurança forem tomadas. Devemos nos preparar com cuidado, pois ficar sem água por mais de 24 horas pode ser extremamente perigoso. 

Será que você deveria tentar? Essa parte é você quem decide. Basta lembrar de manter sua segurança e ter cautela.

Compartilhar

Deixe um comentário

Tenha em conta que os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Comentário enviado

O seu comentário foi submetido. Vamos revê-lo e aprová-lo brevemente.

Veja como o DoFasting vai melhorar a sua vida

Descubra o que funciona para si com este teste de 60 segundos aprovado pelos nossos especialistas e obtenha o seu revolucionário assistente de jejum pessoal.

Iniciar o quiz
Imagem de herói

Utilizamos cookies para melhorar os nossos serviços e a experiência dos visitantes. As suas preferências podem ser alteradas ou retiradas em qualquer altura. Para mais informações, consulte por favor a nossa Política de Privacidade